O que são?

Consistem em procedimentos de organização e gestão da segurança e têm duas finalidades principais: a garantia da manutenção das condições de segurança definidas no projecto e a garantia de uma estrutura mínima de resposta a emergências.

Pretendem também salvaguardar que os equipamentos e sistemas de segurança contra incêndios estão em condições de ser operados permanentemente e que, em caso de emergência, os ocupantes abandonam o edifício em segurança.

Existem três tipos principais de medidas de autoproteção:

  • Medidas de prevenção: procedimentos de prevenção ou planos de prevenção, formação em segurança contra incêndio e simulacros.

As ações de formação destinam-se a todos os funcionários e colaboradores das entidades exploradoras. Inclui-se também a formação específica destinada aos elementos que lidam com situações de maior risco de incêndio ou que pertençam às equipas da organização de segurança.

Os simulacros são testes do plano de emergência interno e treino dos ocupantes.

 

Que edifícios e recintos devem estar dotados de medidas de autoproteção?

Todos os edifícios e recintos, no entanto, para edifícios de habitação (partes comuns) das 1.as e 2.as categorias de risco não existem medidas específicas obrigatórias (artigo 198.º da Portaria n.º 1532/2008).

(fonte: Segurança Online )

 

Para mais informações consulte os seguintes Links:

http://www.prociv.pt/SCIE/Documents/Dec_Lei_220_2008_SCIE.pdf

http://www.prociv.pt/SegurancaContraIncendios/Documents/Medidas%20de%20Autoprote%C3%A7%C3%A3o%20FINAL-Outubro.pdf

http://www.segurancaonline.com/gca/?id=912

http://segurancacontraincendio.pt/links.html

http://www.apsei.org.pt/?lop=conteudo&op=f0935e4cd5920aa6c7c996a5ee53a70f&id=b53b3a3d6ab90ce0268229151c9bde11

http://www.proteccaocivil.pt/SegurancaContraIncendios/Documents/PERGUNTAS_FREQUENTES.pdf